A tradição das marcas sobrevive ao se adaptar a novos hábitos de consumo?

Relacionamento
Atendimento publicitário e o relacionamento com o cliente
26 de agosto de 2020

A tradição das marcas sobrevive ao se adaptar a novos hábitos de consumo?

Sim, sobrevive, mas somente quando a marca é capaz de ressignificar a tradição. Isso não é difícil quando você compreende que os tempos estão sempre mudando. A partir daí, é preciso ter visão para saber o que e como fazer.

Até para as marcas mais glamourosas é um desafio se adaptar aos hábitos de consumo e manter a tradição de qualidade. E estamos falando daquele pessoal que parece estar sempre maravilhoso e cheio de sucesso: os cantores famosos, os artistas de cinema.

A indústria do entretenimento é usada aqui como exemplo porque é uma das que mais sofre transformações com a constante mudança nos hábitos de consumo. Uma prova disso: você conhece a capa do álbum da última música que ouviu no Spotify? Provavelmente, não. E este era um ponto de contato forte entre os músicos e o público, impacto profundo de identidade e mensagem.

No cinema, a prova de que os pontos de contato entre marca e público mudaram é o sucesso dos filmes de super-heróis. Eles são muito mais populares e vistos, porque seus personagens estão presentes em todo lugar: brinquedos, roupas, decoração, eventos. O que não acontece com outros filmes e daí, os fracassos de bilheteria.

 

Manter tradição ao se adaptar aos novos hábitos de consumo exige diferenciar o relacionamento com o público

 

Se no entretenimento, a tradição já não se garante com divulgação em belas capas de discos e grandes cartazes, na realidade mais corriqueira, os pontos de contato também mudaram muito.

Os grandes restaurantes, por exemplo: na pandemia, alguns fecharam e outros se tornaram mais próximos do público, o que foi ótimo especialmente para este momento difícil.

Para os restaurantes que fecharam, tradição significa grande estrutura de atendimento e pessoal qualificado para servir com sofisticação. Isso é verdade, mas tradição vai muito além. E os restaurantes que se mantêm de pé deixaram de atender in loco (ao menos por um tempo), mas continuaram levando seu sabor por delivery, com entregas diferenciadas. Há ainda aqueles que, compreendendo que depois de um tempo o público já não queria mais pedir comida e nem cozinhar, ofereceram a opção dos congelados, que mescla o melhor das duas experiências e o cliente sente como se estivesse preparando a própria refeição, só que com muito mais qualidade.

Portanto, manter a tradição é continuar entregando suas principais qualidades ao público, mas por novos meios e em novos formatos. Ressignificar a experiência. Para isso, você precisa amar o que faz e compreender os novos hábitos de consumos. E nesse último, a gente pode te ajudar. Conheça a W.Godoy.

Redação W. Godoy
Redação W. Godoy
Conteúdo relevante sobre inteligência criativa, comunicação estratégica, gestão e arquitetura de marca e muito mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Posso ajudar?